Relações e amor

5 Coisas que não sabia sobre o orgasmo

Por  | 

De seguida vamos apresentar 5 aspectos interessantes, resultado de uma série de investigações, estudos, especulações e suposições sobre o querido e breve orgasmo.

O sexo está na cabeça

A prova de o orgasmo é mental (não confundir com orgasmo seco), descrito por Odgen, Whipple e Komisaruk, foi dada em 1992 quando estes senhores descobriram que o orgasmo gera a mesma resposta que um orgasmo convencional. A explicação está no facto das sensações serem um reflexo do que acontece no sistema nervoso.

Os orgasmos múltiplos podem ser um problema

Chama-se síndrome de excitação permanente e pode produzir até 250 orgasmos diários (sem qualquer tipo de estímulo). A paciente costuma experimentar orgasmos durante as tarefas mais aborrecidas. Não existe cura, pelo que as mulheres que sofrem deste problema são obrigadas a dissimilar este problema durante toda a vida (enquanto que outras o fingem).

O dinheiro gera menos felicidade

Um estudo realizado por David Blanchflower, do Dartmouth College e Andrew Oswald, da Universidade de Warwick em Inglaterra, mostrou que se tivermos que escolher entre o dinheiro e o prazer, a escolha recai no prazer. Foram inquiridas 16.000 pessoas a quem foi colocado este dilema da escolha entre dinheiro e prazer. A verdade é que as respostas que escolheram o prazer foram quatro vezes superiores às de quem escolheu o dinheiro como o caminho para a felicidade.

É possível gozar mesmo após a morte

É possível chegar a sentir mesmo em caso de morte cerebral se forem estimulados e oxigenados os nervos sacrais. Assim o afirma Mary Roach, autora do livro “The curious life of human cadavers”, que diz que: “Se num cadáver acontece o que designamos por reflexo de Lázaro, porque não também o reflexo do orgasmo?”. A especialista em morte cerebral Stephanie Mann também é apologista desta tese.

É possível estudar o coito em laboratório

Segundo o McGill University Health Centre de Montreal, no Canadá, com voluntários eficientes e graças à termografia, foi possível saber que a temperatura nos genitais sobe dois graus em pouco mais de dez minutos. Ardente!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *