Relações e amor

5 Coisas que não sabia sobre o orgasmo

Por  | 

De seguida vamos apresentar 5 aspectos interessantes, resultado de uma série de investigações, estudos, especulações e suposições sobre o querido e breve orgasmo.

O sexo está na cabeça

A prova de o orgasmo é mental (não confundir com orgasmo seco), descrito por Odgen, Whipple e Komisaruk, foi dada em 1992 quando estes senhores descobriram que o orgasmo gera a mesma resposta que um orgasmo convencional. A explicação está no facto das sensações serem um reflexo do que acontece no sistema nervoso.

Os orgasmos múltiplos podem ser um problema

Chama-se síndrome de excitação permanente e pode produzir até 250 orgasmos diários (sem qualquer tipo de estímulo). A paciente costuma experimentar orgasmos durante as tarefas mais aborrecidas. Não existe cura, pelo que as mulheres que sofrem deste problema são obrigadas a dissimilar este problema durante toda a vida (enquanto que outras o fingem).

O dinheiro gera menos felicidade

Um estudo realizado por David Blanchflower, do Dartmouth College e Andrew Oswald, da Universidade de Warwick em Inglaterra, mostrou que se tivermos que escolher entre o dinheiro e o prazer, a escolha recai no prazer. Foram inquiridas 16.000 pessoas a quem foi colocado este dilema da escolha entre dinheiro e prazer. A verdade é que as respostas que escolheram o prazer foram quatro vezes superiores às de quem escolheu o dinheiro como o caminho para a felicidade.

É possível gozar mesmo após a morte

É possível chegar a sentir mesmo em caso de morte cerebral se forem estimulados e oxigenados os nervos sacrais. Assim o afirma Mary Roach, autora do livro “The curious life of human cadavers”, que diz que: “Se num cadáver acontece o que designamos por reflexo de Lázaro, porque não também o reflexo do orgasmo?”. A especialista em morte cerebral Stephanie Mann também é apologista desta tese.

É possível estudar o coito em laboratório

Segundo o McGill University Health Centre de Montreal, no Canadá, com voluntários eficientes e graças à termografia, foi possível saber que a temperatura nos genitais sobe dois graus em pouco mais de dez minutos. Ardente!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close