Drenagem linfática na gravidez : benefícios e cuidados a ter

Durante a gestação é natural que as gestantes sofram com o inchaço, a retenção de líquidos e a celulite. Essas três realidades fazem com que muitas grávidas equacionem a realização de uma drenagem linfática. Sabe se pode fazer drenagem linfática durante a gestação? Venha descobrir os cuidados a ter e os benefícios.

A drenagem linfática, quando realizada com profissionais especializados, pode ser muito vantajosa para a aparência e a saúde femininas. Esta prática promove uma melhor circulação sanguínea, reduz os inchaços provocados pela retenção de líquidos e melhora também a aparência, ao reduzir a celulite.

A procura por especialistas de renome, com a formação essencial para a prática torna-se, por isso, bastante comum entre as mulheres que procuram o bem-estar quotidiano e uma aparência melhor.

Ainda que a prática seja indicada em qualquer idade e fase da vida da mulher, o facto é que o acentuar dos problemas solucionados por este tipo de método durante a gravidez faz com que muitas gestantes desejem submeter-se ao tratamento para melhorarem os problemas relacionados com a celulite gestacional e a retenção de líquidos: dois problemas muito frequentes na gravidez.

As questões sobre a segurança desta prática durante o período gestacional, no entanto, existem, sendo que muitas mulheres equacionam quais os riscos e benefícios desta técnica de saúde e beleza.
Hoje, apresentamos melhor a drenagem linfática, os principais cuidados a ter no momento de recorrer a este tratamento na gravidez e os benefícios associados à prática.

O que é, afinal, a drenagem Linfática ?

A drenagem linfática é uma técnica antiga, de origem europeia, que consiste numa massagem especializada que ajuda a melhorar o funcionamento corporal e, por conseguinte, a sensação de bem-estar e a aparência.
Este tratamento corresponde a técnicas de massagem localizada, que promovem a eliminação de eventuais obstruções nos vasos linfáticos. Entre os resultados, encontra-se a consequente redução de inchaços corporais e outros efeitos da retenção de líquidos no corpo humano, assim como uma melhor eliminação de toxinas acumuladas no organismo.
Esta prática estimula ainda os gânglios, o que resulta numa melhor circulação sanguínea que previne, desta forma, também a retenção de líquidos, o inchaço nos membros e alivia um conjunto de outros problemas que criam desconforto às mulheres em várias fases da vida.
Diferente das massagens convencionais, torna-se importante que a drenagem linfática seja feita junto de profissionais especializados, como Caroline Bizetto em Albufeira, já que os movimentos devem ser realizados da forma correta para garantir a segurança e eficácia da prática.
Drenagem linfática na gravidez

É seguro fazer drenagem linfática na gravidez ?

Primeiramente, o aconselhamento médico será sempre recomendado antes de iniciar a prática, já que cada mulher passa por circunstâncias distintas durante o período gestacional.

Em todo o caso, os profissionais de saúde costumam desaconselhar a prática apenas durante o primeiro trimestre, considerando que, no segundo e terceiro trimestres, a drenagem linfática pode, na verdade, ser bastante vantajosa para as gestantes.
Esta prática irá ajudar a gestante a melhorar a circulação, o que contribuirá para uma melhor oxigenação dos tecidos orgânicos. Além disso, ajudará na eliminação de toxinas por via da urina e melhorará os inchaços que, como sabemos, são muito comuns na gestação.
Além disso, quando devidamente liberado pelos médicos, o método pode ainda ser um aliado na luta contra a celulite gestacional.
Contam-se ainda, entre os benefícios desta prática, o alívio do desconforto, das dores e da tensão e uma subsequente sensação de bem-estar.

Quais as situações em que a drenagem linfática é desaconselhada à gestante ?

Como vimos, na maioria das situações, a drenagem linfática pode ser muito benéfica na gravidez. Ainda assim, em algumas situações específicas, as gestantes não poderão recorrer à prática.

O primeiro trimestre de gravidez costuma ser uma fase de maiores cuidados, sendo recomendado à gestante que evite esta prática. Além disso, em situações como uma gravidez de risco ou perante quadros de hipertensão gestacional, trombose venosa profunda, ou doenças do foro linfático e renal, poderá também ser desaconselhado à gestante que realize a drenagem linfática.

Neste sentido, recomenda-se sempre que a gestante avalie, junto de um especialista, quais os riscos e benefícios, sendo ainda importante a garantia da escolha de um profissional com experiência e devidamente certificado.

Mesmo quando a gestante não pode realizar a drenagem linfática, outros tipos de massagem poderão adequar-se e trazer benefícios para a sua saúde e bem-estar durante a gestação.

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.